fonte de texto

quarta-feira, 8 de julho de 2009

Humilde e singelo baú

Eu te quero, junto a mim
Eu te amo... mas como poderia falar-te?
Sobre este sentimento, dentro de mim
Que permanecia calmo, sereno, tranqüilo como a noite...

Protegido, contra o mundo
Guardado em um baú, cuja “chave”
Estava secretamente escondida...



Mas você, chegou de repente, talvez...
É dispertou de uma forma, que modestas palavras e a própria razão...
Não conseguiriam explicar
Talvez o espírito pudesse explicar, enfim ...
Trouxe contigo, a “ chave- mestra” que abriria o humilde e singelo baú

Quisera eu poder com minhas forças defende-lo contra ti...
Mas não seria justo, pelo contrário seria egoísta de minha parte, querer guarda-lo somente para mim
Sabes, por quê?
Porquê, tu es...
Sim, tú es, o verdadeiro dono, além de mim, do que nele está protegido...


Autora,


(Daiane Almeida)

Um comentário:

Susana disse...

Olá Daiane!

Esta postagem fez-me lembrar os meus tempos de namoro...em que o segredo e a chave do coração combinavam muito bem com o grande amor, que sentimos , quand se está apaixonado.

Ai como é bom estar apaixonado!

Aproveito para te dar duas novidades: vai arrancar a blogagem colectiva dia 10 de julho com o tema "Férias na minha terra" lá na Aldeia; e já tenho uma entrevista auma beirã muito especial no clube das mulheres. Quando puderes vai lá espreitar e diz o que achaste.Quem sabe ainda ganhas um presentinho...com o melhor comentário( na aldeia).

Bjs Susana

Leia também: